Corretora de Seguros – mais transparência, confiança e credibilidade

O seguro é uma forma de gerenciar o risco de uma provável perda. O seguro é definido como uma forma justa de transferir o risco de um prejuízo de uma pessoa ou empresa para uma companhia, em troca de pagamento. A companhia que vende o seguro é a seguradora e o segurado é aquele que tem a apólice de seguro. O valor cobrado por uma cobertura de seguro é chamado de “prêmio”. A avaliação do risco de um seguro envolve certa prática e estudo, e geralmente é realizada pela Corretora de Seguros.

No Brasil, as Seguradoras são as empresas autorizadas pela SUSEP – Superintendência de Seguros Privados, ligada ao Ministério da Fazenda, a assumirem os riscos do seguro e trabalham por meio das Corretoras de Seguro. As Seguradoras se responsabilizam, através do Contrato, a indenizar o segurado pelos prejuízos que ele possa vir a sofrer, segundo o que ficou estabelecido na apólice de seguros.

As Corretoras de Seguros são empresas ou pessoas autorizadas a comercializar em nome das Seguradoras. A Corretora de Seguros analisa o perfil do cliente, os riscos aos quais está exposto e busca encontrar o seguro mais adequado às suas necessidades, que variam no tempo. A cada ano, a Corretora de Seguros promove a renovação do seguro, segundo as mudanças ocorridas ou não nas características de seus clientes, sempre buscando o melhor custo-benefício para os segurados.

Portanto, a função da Corretora de Seguros é a de garantir que a Seguradora e o segurado cumprirão com suas obrigações estabelecidas na apólice. A Corretora de Seguros utiliza instrumentos para evitar fraudes, como questionários, visando obter o maior número de informações para medir o nível de risco do segurado. Assim, quanto menor o risco oferecido, maior o desconto que pode ser obtido pelo segurado. Já no caso das afirmações por ele fornecidas não serem verdadeiras, a seguradora terá o direito de não indenizá-lo, principalmente se a informação omitida tenha causado diretamente o sinistro.

O seguro passa a funcionar a partir do Contrato, um documento complexo, que geralmente tem suas inúmeras características e particularidades desconhecidas da maioria dos segurados. Quem pode esclarecer a respeito das condições específicas do contrato é o representante da Corretora de Seguros, que será a intermediária da apólice contratada. Seu papel é muito importante, porque não apenas atua na venda, mas como consultora e defensora do segurado caso ocorra um sinistro.

Algumas dúvidas costumam ser frequentes, quanto aos contratos com corretoras de seguro e aqui vão algumas definições importantes:
– Prêmio do seguro – É o que você paga à seguradora pelo seguro. Com o pagamento é transferido o risco previsto no Contrato. Pagar as prestações do prêmio é uma obrigação do segurado.
– Atraso no pagamento do prêmio – Não pagar o prêmio na data prevista acarreta a suspensão ou o cancelamento do seguro. Isso fará que se perca o direito à indenização, caso aconteça um evento ou acidente depois da data do cancelamento. O Contrato com a seguradora deve estipular em que casos ocorre o cancelamento do Contrato por falta de pagamento do prêmio.
– Recusa de proposta – Existem casos em que a seguradora, depois do contato feito pela Corretora de seguros, se pronuncia recusando a proposta, mas deve justificar a recusa formalmente. Depois de feito o contato de proposta de seguro, a seguradora tem um prazo de 15 dias para responder, tanto em casos de seguros novos como renovações. A seguradora deve analisar as alterações que foram introduzidas na renovação, feitas pelo segurado ou pelo corretor. Depois desse prazo o seguro é considerado aceito.
– Prazo para se receber uma indenização – o pagamento do seguro, chamado de liquidação do sinistro, deve ser realizado em um prazo de 30 dias, a partir da data de entrega dos documentos do segurado ou beneficiário. Se houver alguma dúvida e forem solicitados outros documentos, o prazo a ser considerado passa a ser o dia em que as exigências forem cumpridas. Por esse motivo, é importante que o segurado esteja de posse do comprovante de notificação do sinistro à seguradora e do recibo de entrega dos documentos exigidos.

As seguradoras podem vender seguros, planos de previdência ou títulos de capitalização. No Brasil existem, de acordo com a SUSEP, 160 companhias seguradoras, sendo que 72% trabalham apenas com seguros, 17% se dedicam a planos de aposentadoria e 11% são companhias que oferecem planos de capitalização.
Os prêmios dos seguros estão concentrados em três linhas de negócio: os seguros de vida, os seguros de automóveis e os seguros saúde.
As reformas econômicas introduzidas pelo governo brasileiro nos últimos anos tiveram um profundo impacto no mercado de seguros, que passou a representar 2,5 do PIB. Considerando os fundos de aposentadoria e capitalização, este total passa para 3,2%, o que mostra o crescimento dos seguros.